free web generator software download

Diretrizes Vale

Diretrizes para as Ações de

 

Capacitação em RAC

 

Referenciadas no PTP-000813

 

Mensagem Valer

 

 

 

 

 

 

 

Prezados,

 

A Vale acredita que A Vida em Primeiro Lugar é um valor inegociável. Para que este valor seja disseminado e efetivamente praticado, assegurando a integridade física de todos os empregados nas operações e projetos da Vale, foram estabelecidos requisitos sistêmicos que representam o sistema de gestão de Saúde e Segurança.

 

Para suportar a implementação de ações com foco na prevenção de fatalidades, foram estabelecidos requisitos para execução de atividades críticas na Vale, por meio do PTP-000813. Neste Padrão Técnico de Processo, há a definição de capacitações obrigatórias para cada uma das atividades críticas. Visando padronizar e garantir quais os conteúdos mínimos que devem ser aplicados nas áreas, a Valer, em conjunto com a diretoria de Saúde e Segurança, definiu o documento de Diretrizes Educacionais para as ações de capacitação em atividades críticas.

 

A Vale está agindo globalmente na prevenção de perdas, na garantia da saúde e na mitigação de eventos que possam impactar as pessoas, os ativos e a reputação da empresa. Isso porque a Vale quer ser uma empresa reconhecida em todo o mundo como modelo de excelência em gestão de Saúde e Segurança Ocupacional, por sua estrutura, seus sistemas, seus processos, suas políticas e seus resultados.

RAC para Profissionais que Exercem Atividades Críticas

 

Solução Educacional

 

A solução educacional desenvolvida consiste em ações de capacitação teórico-práticas. Esta estratégia possibilita o aprendizado por meio da apresentação de conceitos, procedimentos e recursos utilizados no planejamento e na execução das atividades críticas.

 

As estratégias para apresentação do conteúdo devem ser orientadas por intermédio de:

 

» apresentação de riscos associados, medidas de controle e comportamentos seguros para cada tipo de atividade crítica;

 

» exposição de casos de situações com potencial de incidentes para análise e discussão;

 

» demonstração e manuseio, sempre que possível, de equipamentos de proteção indicados para a atividade crítica;

 

» utilização de instrumentos de medição em situações simuladas;

 

» utilização de ilustrações, infográficos e vídeos apontando práticas de comportamento seguro.

 

 

Implementação das Ações de Capacitação

 

Mapeamento do público-alvo

 

Somente os profissionais que efetivamente exercerão atividades críticas devem ser mapeados, conforme estabelecido no PTP-000813.

 

Não é recomendável que sejam treinados profissionais para ficar na condição de “banco de reserva”, a fim de evitar:

 

» execução de atividades críticas por empregados que não as realizam no dia a dia;

 

» ocupar vaga de pessoas que realmente necessitem do treinamento;

 

» custos desnecessários.

 

Fique Atento!

 

Nas unidades da Vale onde o sistema VES está implantado, o “currículo” do RAC deve ser associado ao plano do empregado para que a periodicidade das reciclagens possa ser acompanhada. Não associe ações/itens soltos.

 

Mapeamento dos instrutores

 

O mapeamento dos instrutores para as ações de capacitação deve observar o perfil mínimo obrigatório:

 

» conhecimento técnico específico da ação de capacitação a ser ministrada;

 

» experiência comprovada em S&S aplicada no dia a dia de áreas operacionais de, no mínimo, 2 (dois) anos;

 

» para instrutor Vale: multiplicador chancelado pelo Programa de Formação de Agentes Educacionais;

 

» para instrutor de empresa contratada ou instrutor de empresa fornecedora de treinamento: experiência comprovada como instrutor ou certificado em cursos de formação didática ou semelhante;

 

» ensino médio completo;

 

» desejo de ser instrutor;

 

» reconhecido como um profissional que trabalha de forma alinhada com os valores da Vale.

Nota:

Para RAC 01 e RAC 10, os instrutores devem estar sob a responsabilidade de técnicos ou engenheiros de segurança no trabalho, de acordo com a NR 35 e NR 10 respectivamente. Nesses casos, é necessária uma declaração do responsável técnico de S&S descrevendo que o instrutor está apto a ministrar o treinamento.

 

Validação do conhecimento técnico e da proficiência/experiência

 

A comprovação pode ser feita por meio de registro ou documento, tais como:

 

» atestado de capacidade técnica;

 

» registro em carteira de trabalho;

 

» declaração de gestores registrada por e-mail;

 

» certificado de condução de treinamentos na área;

 

» avaliação de conhecimento técnico;

 

» dentre outros.

 

A comprovação técnica deve ser específica para o tema que o instrutor irá ministrar as aulas.

 

Nota:

Não há obrigatoriedade de prova de conhecimento para chancela do instrutor. Essa decisão deve ser tomada pelos responsáveis das áreas de Saúde e Segurança e Educação, de acordo com o contexto local.

Viabilização da oferta das ações de capacitação em RAC

 

A oferta de ações de capacitação pode ser viabilizada das seguintes formas:

 

» para empregados Vale, por meio de instrutores internos Vale;

 

» para prestadores de serviço, por meio de instrutores internos da empresa contratada; ou

 

» para empregados Vale e prestadores de serviço, por meio de fornecedor de treinamento.

 

Recomendamos que o número de participantes por turma não exceda 25 pessoas para maior efetividade do treinamento.

 

Para RAC 02, a recomendação é de no máximo 12 pessoas por turma.

 

Na Vale, o planejamento da oferta dos treinamentos precisa ser conduzido entre as áreas de negócio e as equipes de S&S e Educação locais, considerando que os conteúdos definidos no material-padrão e os conteúdos específicos sejam trabalhados como uma única ação.

Fique Atento!

Os currículos de capacitação dos RAC 01, RAC 06 e RAC 10 substituem, em caráter de equivalência, os treinamentos nas NR 35, NR 33 e NR 10 respectivamente. Caso sejam realizados os treinamentos de NR, o profissional deve ser treinado somente nos conteúdos e procedimentos específicos da área/região em que irá atuar.

 

Determinadas ações que compõem os currículos de capacitação em RAC não possuem reciclagem obrigatória, ou seja, não possuem periodicidade. São elas: Noções de Primeiros Socorros, Proteção Respiratória, Permissão de Trabalho, Área Classificada e Primeiros Socorros – Avançado.

Fornecedor de treinamento

 

As áreas de Educação e de Saúde e Segurança regionais devem, em conjunto, avaliar e autorizar os fornecedores de treinamento, considerando os seguintes critérios:

 

» registro de atuação no ramo de educação e/ou treinamento em seu contrato social;

 

» instrutores com perfil citado anteriormente neste documento;

 

» qualidade do material didático complementar, caso haja;

 

» capacidade de atendimento da demanda regional mapeada.

 

Todos esses critérios devem ser analisados antes da chancela final do fornecedor de treinamento.

As empresas prestadoras de serviço, por meio do seu responsável técnico, devem garantir procedimento similar ao adotado na Vale.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Material didático padrão

 

A Vale possui materiais didáticos desenvolvidos internamente para implantação das ações de capacitação em RAC.

 

Para a Vale, a utilização destes materiais didáticos é obrigatória, para todos os instrutores internos e externos, e fundamental para garantir que os conteúdos mínimos sejam abordados.

 

Para as empresas prestadoras de serviço, recomendamos a utilização do material didático Vale, que está totalmente disponível para utilização, cobre todos os conteúdos mínimos, está adequado à carga horária definida neste documento e foi feito com o cuidado de olhar as características de todo o público-alvo das ações de capacitação em RAC.

 

Cada ação de capacitação em RAC possui um kit, com recursos necessários para que os instrutores ministrem as ações, composto por:

 

» apresentação do instrutor com recursos didáticos considerando a complexidade da ação, tais como: jogos, vídeos, peças em 3D e infográficos;

 

» guia do instrutor com plano de aula;

 

» infográfico com os riscos associados e medidas de prevenção, a ser impresso e distribuído para os participantes.

 

A área de Educação regional deve fornecer ao instrutor:

 

» banco de questões sugerido para avaliação de aprendizagem dos participantes;

 

» avaliação de reação;

 

» lista de presença.

 

Material didático – Conteúdos Específicos

 

Os conteúdos específicos da área/regional (tais como: procedimentos, plano de atendimento à emergência, regras) fazem parte da carga horária estabelecida neste documento. O material didático padrão foi desenvolvido para também atender a esta necessidade.

 

A identificação dos conteúdos e desenvolvimento dos materiais, utilizando os templates disponibilizados no material-padrão, é de responsabilidade das áreas de Saúde e Segurança, que podem contar com o apoio da área de Educação, regionalmente.

 

Para o treinamento dos empregados Vale, o material específico deve ser disseminado para os instrutores internos e fornecedores de treinamento, juntamente com o material didático padrão.

 

Para o treinamento dos prestadores de serviço, o material específico deve ser ministrado prioritariamente no momento do introdutório, da ambientação na Vale.

 

É fundamental que o instrutor tenha conhecimento destes conteúdos específicos para que possa, durante todo o treinamento, correlacionar a teoria com a prática, dando exemplos, orientações e provocando reflexões nos participantes.


10    

 

 

 

 

 

 

 

 

Ambientes de Simulação Prática

 

Consideramos que ambientes de simulação prática são fundamentais para reforço da mudança de comportamento, portanto, estimulamos que existam estas estruturas disponíveis.

 

Ressaltamos que a área de Saúde e Segurança regional é responsável por garantir o atendimento obrigatório dos requisitos de Saúde & Segurança aplicáveis ao ambiente, e que as orientações básicas, antes de expor o participante ao ambiente simulado, sejam sempre apresentadas.

 

Avaliação de Aprendizagem

 

O instrutor é responsável por elaborar as questões (utilizando o banco de questões como base), imprimir, aplicar a avaliação de aprendizagem obrigatória ao fim de cada ação de capacitação e corrigir as mesmas.

 

A avaliação de aprendizagem deve conter 10 questões, para que a nota não precise ser arredondada.

 

Para aprovação do participante, é necessário que ele obtenha aproveitamento equivalente ou superior a 80% da avaliação aplicada. Se ele não conseguir alcançar o grau necessário, deve repetir a capacitação. A aprovação também fica condicionada à frequência integral das atividades de capacitação.

 

Caso o participante não consiga aprovação, não há limite de tentativas, porém, ele não pode exercer a atividade crítica antes da aprovação, conforme estabelecido no PTP-000813.

 

Avaliação de Reação dos Participantes

 

Ao fim de cada ação de capacitação em RAC, o instrutor deve aplicar, obrigatoriamente, o formulário-padrão de avaliação de reação da Valer, que deve ser entregue na área de Educação regional.

 

A análise dos resultados das avaliações de reação é de responsabilidade das áreas de Saúde e Segurança e Educação regionais. Tal análise é fundamental para a melhoria contínua dos treinamentos, dos materiais didáticos e da atuação dos instrutores (feedback, capacitação e reconhecimento), sejam eles internos ou externos, e garante a aplicabilidade dos conteúdos e qualidade da instrutoria.

 

Gestão das ações de capacitação em RAC na Vale

 

A Valer Corporativa e a diretoria de Saúde e Segurança Corporativa são responsáveis pela definição desta diretriz, dos currículos e materiais didáticos.

 

O planejamento da implementação e a oferta das ações de capacitação são de responsabilidade da área de Educação regional, em conjunto com as áreas de negócio e de Saúde e Segurança, considerando as especificidades da região, a infraestrutura existente e o público a ser treinado.

 

A responsabilidade pela catalogação e geração dos códigos das ações de capacitação no Sistema Educacional Vale – VES é do RH.

 

Na Vale Brasil, onde o VES é o sistema oficial em funcionamento, a gestão das informações de capacitação, evidências e relatórios são extraídos do sistema.

 

Onde o VES não é o sistema oficial, deve ser utilizado o sistema oficial adotado pelas empresas para gestão das informações de treinamento, com registro das avaliações de aprendizagem e listas de presença devidamente cadastradas.

 

Os registros de treinamentos exigidos pela legislação devem ser observados.

Ações de Capacitação

 

Acompanhe, a seguir, o detalhamento das ações de capacitação em RAC.

 

 

Noções de Primeiros Socorros

 

Carga horária:                                             

2 horas

 

Objetivos de aprendizagem:

 

Ao fim da capacitação, o empregado deverá:

 

I. Descrever e executar os procedimentos básicos de atendimento inicial às vítimas de acidentes.

 

II. Descrever e executar os procedimentos necessários para acionar a equipe de atendimento de emergência.

 

Conteúdo programático:

 

» Conceitos Gerais de Emergência

 

» Suporte Básico de Vida (RCP e DEA)

 

» Atendendo a uma Emergência

 

» Avaliação da Vítima

 

» Posição de Recuperação

 

» Remoção de Vítimas

 

 

 

 

Primeiros Socorros - Avançado

 

Carga horária:

 

8 horas

 

Objetivos de aprendizagem:

 

Ao fim da capacitação, o empregado deverá:

 

I.      Descrever e executar os procedimentos básicos de atendimento inicial às vítimas de acidentes.

 

II.    Nomear os diferentes tipos de emergência clínica apresentados.

 

III.  Aplicar as técnicas e os procedimentos necessários para obter suporte básico de vida.

 

IV.  Aplicar corretamente os conceitos e os procedimentos de atendimento inicial específicos para cada tipo de emergência.

 

V.   Aplicar corretamente os conceitos e os procedimentos para os casos de sangramentos graves.

 

VI. Aplicar corretamente os procedimentos e as técnicas para movimentar vítimas de acidentes.

 

VII. Aplicar corretamente os procedimentos e as técnicas de atendimento em situações simuladas de emergência.

 

 

 

 

 

 

 

 

Conteúdo programático:

 

» Suporte Básico de Vida (RCP e DEA)

 

» Atendendo a uma Emergência

 

» Avaliação da Vítima

 

» Posição de Recuperação

 

» Engasgamento (Vítima Consciente)

 

» Ataque Cardíaco e Dor Torácica

 

» Prevenção contra Transmissão de Doenças

 

» Sangramentos e Ferimentos

 

» Estado de Choque

 

» Queimaduras

 

» Lesões Graves

 

» Lesões em Ossos, Articulações e Músculos

 

» Males Súbitos

 

» Envenenamentos e Intoxicações

 

» Emergências Relacionadas a Frio e Calor

 

» Transporte e Remoção de Vítimas

 

 

 

 

Permissão de Trabalho

 

Carga horária:

 

4 horas

 

Objetivos de aprendizagem:

 

Ao fim da capacitação, o empregado deverá:

 

I.      Explicar a importância da permissão de trabalho.

 

II.    Descrever os pré-requisitos para aprovação da permissão de trabalho.

 

III.  Analisar e validar as informações que constam na permissão de trabalho.

 

IV.  Aprovar ou reprovar uma permissão de trabalho.

 

Conteúdo programático:

 

» Importância da Permissão de Trabalho

 

» Responsáveis pela Emissão e Liberação da Permissão de Trabalho

 

» Pré-requisitos para Aprovação da Permissão de Trabalho

 

» Permissão para Realização da Atividade

 

» Análise e Validação da Permissão de Trabalho

 

» Aprovação da Permissão de Trabalho

 

 

 

 

 

COMPARTILHE!

PROTEC

O Grupo Protec é uma empresa especializada nas áreas de Consultoria, Treinamentos de Segurança, Engenharia de Segurança, Higiene Ocupacional e Serviços Especializados em Altura. Fundada no ano de 2007, apresenta um novo conceito em prestação de serviços, com soluções que irão suprir as necessidades de sua empresa, atuando nos mais diversos segmentos da indústria e do comércio, atendendo as Normas Brasileiras e dos Órgãos Regulamentadores do setor.

Possui estruturas amplas e confortáveis para a realização de seus treinamentos, os mais sofisticados equipamentos de medição e análises ambientais, promovendo a prevenção e assim a qualidade de vida. Oferece também soluções técnicas para realização de diversos serviços especializados em altura de forma ágil e segura, contando sempre com uma equipe dinâmica de profissionais altamente qualificados.

Missão
Disponibilizar continuamente, com qualidade e profissionalismo, serviços inovadores e acessíveis, que promovam a saúde e bem-estar de seus clientes.
Visão
Ser referência em consultoria, saúde e segurança do trabalho com qualidade e compromisso.
Valores
Ética, transparência, agilidade, tecnologia e dedicação na prestação de serviços e parcerias.

CONTATO E ORÇAMENTO